Fale com nossos assessores:
falecom@futuroinvestimentos.com.br
| 49 3361 3400 Chapecó-SC
| 46 3225 4976 Pato Branco-PR

Renda Fixa

É o investimento realizado diretamente em Títulos Públicos e Privados de Renda Fixa. Quando você compra um título de Renda Fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou mesmo o Governo. Em troca, recebe uma remuneração por um determinado prazo, na forma de juros e/ou correção monetária, podendo receber, ainda, parcelas chamadas amortizações.

A XP desenvolveu uma exclusiva Plataforma de Renda Fixa para você operar Títulos Públicos, CDBs, LCIs, CRIs, LCAs, CRAs e Debêntures de maneira diferenciada. Com ela, você vai poder se informar melhor a respeito dos produtos disponíveis, comprar e vender com autonomia, transparência e agilidade, além de administrar sua carteira com facilidade e segurança. Tudo isso sem sair da frente do seu computador.

SELO CETIP CERTIFICA

Quando você investe em Renda Fixa pela XP, suas operações são registradas em seu nome (CPF/CNPJ), na Cetip, agregando assim muito mais segurança e transparência ao processo. Por essas e outras, a XP é a 1ª instituição a ganhar o selo Cetip | Certifica.

VANTAGENS: 

Exposição a vários setores da economia, aumentando a diversificação do portfólio.

Previsibilidade de rendimento (se os investimentos forem mantidos até o vencimento*).

Ativos que podem atender aos objetivos de liquidez, de renda ou apreciação de capital.

Opções de produtos com isenção de imposto de renda.

Dezenas de opções cobertas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Tipos de investimento em Renda Fixa

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Os CDBs são títulos nominativos emitidos pelos bancos e caixas econômicas vendidos aos investidores como forma de captação de recursos do emissor.

Os CDBs são títulos nominativos emitidos pelos bancos e caixas econômicas vendidos aos investidores como forma de captação de recursos do emissor.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br.
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ);
  • IOF para resgate antes de 30 dias;
  • IR via tabela regressiva.

CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio)

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio estão vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados, em sua maoria, por produtores rurais ou suas cooperativas, relacionados ao financiamento da atividade agropecuária.

Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio estão vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados, em sua maioria, por produtores rurais ou suas cooperativas, relacionados ao financiamento da atividade agropecuária.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Possibilidade de estruturas com garantias (como alienação da terra e penhor da produção);
  • São negociados no balcão e registrados na Cetip ou no BovespaFix;
  • Isenção de IR e IOF para pessoa física no rendimento; ganhos de capital auferidos na alienação ou cessão dos ativos são isentos de IR para Pessoa Física (Instrução 1585);
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Destinado exclusivamente a investidores qualificados e profissionais;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ).

Trata-se de uma modalidade de investimento que não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório.

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Possibilidade de estruturas com garantias (recebíveis imobiliários e/ou alienação fiduciária do bem imobiliário);
  • São negociados no balcão e registrados na Cetip ou no BovespaFix;
  • Isenção de IR e IOF para pessoa física no rendimento; ganhos de capital auferidos na alienação ou cessão dos ativos são isentos de IR para Pessoa Física (Instrução 1585);
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Destinado a investidores em geral, qualificados e profissionais (a depender da oferta);
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ).

Trata-se de uma modalidade de investimento que não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Debêntures

As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas (emissoras).

As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas (emissoras).

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • São negociadas no balcão e registradas na Cetip ou no BovespaFix;
  • Podem contar com a isenção de IR e IOF (para pessoa física) no rendimento e no ganho de capital, caso estejam enquadradas como debêntures de infraestrutura (Lei 12.431);
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ).

Trata-se de uma modalidade de investimento que não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

DPGE (Depósito a prazo com garantia do FGC)

Os DPGEs são depósitos a prazo emitidos por instituições financeiras. Os bancos comerciais, múltiplos, de desenvolvimento e investimento, as sociedades de crédito, financiamento e investimento e as caixas econômicas são as instituições autorizadas a emitir este ativo.

Os DPGEs são depósitos a prazo emitidos por instituições financeiras. Os bancos comerciais, múltiplos, de desenvolvimento e investimento, as sociedades de crédito, financiamento e investimento e as caixas econômicos são as instituições autorizadas a emitir este ativo.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até R$20 milhões¹, por CPF ou CNPJ, por instituição ou conglomerado financeiro;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ);
  • IOF para resgate antes de 30 dias;
  • IR via tabela regressiva.

¹ Cobertura engloba principal e juros.

FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios)

Fundo de investimento que destina parcela preponderante de seu patrimônio líquido para aplicação em direitos e títulos representativos de créditos (direitos creditórios) provenientes de operações comerciais, industriais, imobiliárias, financeiras ou de prestação de serviços, entre outras.

Fundo de investimento que destina parcela preponderante de seu patrimônio líquido para aplicação em direitos e títulos representativos de créditos (direitos creditórios) provenientes de operações comerciais, industriais, imobiliárias, financeiras ou de prestação de serviços, entre outras.

CARACTERÍSTICAS:
  • Rentabilidade diferenciada quando comparado a ativos com classificação de risco semelhante;
  • Pode ser aberto (permitindo a entrada e saída de cotistas a qualquer tempo) ou fechado (a entrada de cotistas não é permitida após o período de captação, e a saída não é permitida antes do vencimento);
  • Pode ter prazo de duração determinado (fundo fechado) ou indeterminado (fundo aberto);
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Destinado exclusivamente a investidores qualificados e profissionais;
  • Investimento mínimo inicial de R$ 25 mil;

Trata-se de uma modalidade de investimento que não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

LC (Letra de Câmbio)

Instrumento de captação das financeiras, com o objetivo de financiar suas atividades. Você empresta dinheiro às financeiras em troca de uma rentabilidade preestabelecida.

Instrumento de captação das financeiras, com o objetivo de financiar suas atividades. Você empresta dinheiro às financeiras em troca de uma rentabilidade preestabelecida.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br.
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ);
  • IOF para resgate antes de 30 dias;
  • IR via tabela regressiva.

¹ Cobertura engloba principal e juros.

LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

Título emitido por instituições financeiras públicas e privadas, vinculado a direitos creditórios originários do agronegócio.

Título emitido por instituições financeiras públicas e privadas, vinculado a direitos creditórios originários do agronegócio.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br.
  • Isenção de IR para pessoa física no rendimento e no ganho de capital;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ);
  • IR via tabela regressiva para investidores PJ.

¹ Cobertura engloba principal e juros.

LCI (Letra de Crédito Imobiliário)

Instrumento de captação que pode ser emitido por instituições autorizadas pelo Banco Central, com o objetivo de financiar o setor imobiliário que tem como lastro financiamentos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária do imóvel.

Instrumento de captação que pode ser emitido por instituições autorizadas pelo Banco Central, com objetivo de financiar o setor imobiliário que tem como lastro financiamentos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária do imóvel.

CARACTERÍSTICAS:
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br.
  • Isenção de IR para pessoa física no rendimento e no ganho de capital;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ);
  • IR via tabela regressiva para investidores PJ.

¹ Cobertura engloba principal e juros.

Letra Financeira

Instrumento de captação de recursos exclusivos das instituições financeiras.

Instrumento de captação de recursos exclusivo das instituições financeiras.
CARACTERÍSTICAS:
  • Prazo mínimo de 2 anos (sênior) e 5 anos (subordinada);
  • É vedado resgate total ou parcial antes do vencimento;
  • Investimento mínimo de R$150 mil (sênior) e R$ 300 mil (subordinada);
  • A remuneração pode ser em % do CDI, CDI + spread, Índices de preços (ex: IGP-M, IPCA) ou Taxa Prefixada;
  • Liquidez restrita no mercado secundário;
  • Produto registrado na CETIP em nome do cliente (CPF/CNPJ).

Trata-se de uma modalidade de investimento que não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa de possibilita a negociação, através da internet, de títulos públicos por pessoas físicas.

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais populares do Brasil. Um dos motivos para isso é o fato de o programa realizar a negociação de títulos públicos, que são os títulos mais seguros do mercado. Além disso, o Tesouro Direto oferece diversas opções de títulos que podem se adequar aos seus diferentes objetivos financeiros, sejam eles de curto ou longo prazo.

CAPÍTULO 01

O que é Tesouro Direto?

Tesouro Direto é um programa do Governo Federal desenvolvido em 2002 através de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a B3 (antiga BM&FBovespa). O objetivo desse programa é facilitar o acesso de pessoas físicas à investimentos em títulos públicos através da internet.

Os títulos públicos são uma forma do governo captar dinheiro para a sua gestão, como por exemplo para as áreas da saúde, educação e infraestrutura. Antes desse programa, era difícil e menos rentável investir no Tesouro Direto, pois só era possível fazê-lo através de fundos de investimento em renda fixa, ou seja, de forma indireta.

Com R$ 30 já é possível começar a investir no Tesouro Direto. Ao comprar um título, o Tesouro Nacional paga juros sobre o valor investido durante o tempo da aplicação.

O Tesouro Direto possui uma rentabilidade superior quando comparado a caderneta de poupança, e essa vantagem se torna mais significativa ao longo dos anos.

CAPÍTULO 02

Porque investir no Tesouro Direto?

Os 6 principais motivos para se investir no Tesouro Direto são:

  1. Rentabilidade: O Tesouro Direto possui uma rentabilidade superior comparada a caderneta de poupança, e essa vantagem se torna mais significativa ao longo dos anos.
  2. Acessível: com uma aplicação mínima de R$ 30 é possível realizar a compra de um título. Por isso, é uma ótima opção para quem possui uma menor quantia inicial para investir.
  3. Segurança: o Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do mercado, já que todo o investimento é feito ao Governo Federal. Ou seja, além de render, você ainda tem a tranquilidade de que seu dinheiro estará seguro.
  4. Resgaste: a liquidez dos títulos é diária. Todo dia através da plataforma do Tesouro Direto ocorre a recompra e venda dos títulos do Tesouro, mesmo que o investidor não tenha ficado com o título pelo prazo contratado. Contudo, o título só pode ser vendido a preço de mercado do dia da operação de venda. Em todo caso, esse tipo de investimento dá segurança e liberdade para manusear o título da forma mais adequada para cada um.
  5. Facilidade: o Tesouro Direto é um investimento muito conveniente, pois é possível investir e acompanhar os seus títulos através da internet. É necessário fazer um cadastro no site do Tesouro e outro cadastro em uma corretora como a XP. Aqui na XP o cadastro é somente pela internet, e é rápido, fácil e seguro.
  6. Variedade: existem cinco tipos de títulos, com perfis diferentes, para investimentos a curto, médio e longo prazo. Por exemplo, se a intenção é investir para comprar um imóvel, existem títulos que são mais rentáveis do que simplesmente reservar o dinheiro mensalmente na poupança para conseguir realizar a entrada da casa ou apto. Um outro objetivo pode ser a aposentadoria. Podem ser encontrados títulos de diversos prazos, porém quanto maior o tempo investido maior a rentabilidade.

CAPÍTULO 03

Quais os custos envolvidos no investimento?

O Tesouro Direto é um investimento muito prático. Além de ser realizado pela internet, tem poucas taxas:

  1. A da BM&FBOVESPA, que é de 0,3% ao ano
  2. Desconto do Imposto de Renda, que varia de acordo com o tempo que o dinheiro ficará aplicado.
  3. Muitas vezes, a taxa da instituição. A XP Investimentos não cobra nenhuma taxa, o que já aumenta o rendimento do investimento.

O valor mínimo de compra é de trinta reais e o máximo é de um milhão por mês. Ou seja, com pouco dinheiro já é possível começar a investir!

Títulos Públicos Federais

São títulos emitidos pelo Governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para o financiamento da atividade pública.

São títulos emitidos pelo Governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para o financiamento da atividade pública. Em função disso, são vistos pelo mercado como de baixo risco.

Todos os títulos públicos são ativos de renda fixa, ou seja, o investidor conhece as condições de remuneração no momento da compra do papel, e caso fiquem com o título até o vencimento, a remuneração final será exatamente a contratada na aplicação.

A relação entre taxa de juros e preço unitário é inversamente proporcional. Quando a taxa de juros cai, o preço sobe. Quando a taxa de juros sobe, o preço cai. E essa variação será tanto maior quanto maior for o prazo remanescente do título.

Vantagens

  • Segurança: 100% garantidos pelo Tesouro Nacional.
  • Liquidez: Liquidez diária pela plataforma da XP
  • Baixo custo: Baixo custo e baixo valor mínimo exigido de aplicação.
  • Diversidade: Opções de investimentos pré ou pós fixados, além de opção para proteção quanto à inflação.

Os investimentos em títulos públicos podem ser feitos através da Plataforma de Renda Fixa da XP Investimentos ou do site do Tesouro Direto. Clique aqui e conheça mais sobre a plataforma do Tesouro Direto.

Características da plataforma de Renda Fixa da XP:

  • Títulos disponíveis: Tesouro Selic (LFT), Tesouro IPCA + com Juros Semestrais (NTN-B), Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F) e Tesouro Prefixado (LTN).
  • Horários: 10h – 17h
  • Liquidação: Liquidação das operações de aplicação ou resgate são realizados no mesmo dia da confirmação da ordem (D+0).
  • Registro: Os títulos públicos negociados através da plataforma da XP são custodiados na Selic e serão consolidados no seu extrato (Portal Minha Conta), junto com os outros investimentos realizados na XP Investimentos.
  • Outras exigências: A quantidade mínima, ao negociar pela plataforma da XP, é de 1 título.
  • Custos: Clique aqui e acesse o item Renda Fixa – Títulos Públicos.

Tributação:

IR: Rendimentos e ganhos de capital produzidos por aplicações financeiras de pessoas físicas ou de pessoas jurídicas em títulos públicos são tributados às seguintes alíquotas:

Prazo de Aplicação Alíquota de IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15%

IOF: A alíquota incidente sobre os rendimentos produzidos por aplicações em títulos públicos com prazo inferior a 30 dias é de 1% ao dia. O limite tributável do rendimento é função do prazo de acordo dados do mercado, fale com um de nossos assessores para saber mais.